O que tá acontecendo na internet?

O Mundo dos Narcisos

O Mundo dos Narcisos

Post originally published on vepo.medium.com.

O que tá acontecendo na internet?
(série de 3 partes)

Gentileza gera Gentileza ou por uma Etiqueta Digital
O Mundo dos Narcisos
"Tem Boi na linha"

— O que você vê quando abre seu Twitter?

Essa não é uma pergunta retórica! As Redes Sociais se tornaram o novo espaço de socialização. Há uma nova tecnologia que transforma o espaço, e toda vez que o espaço é transformado as distâncias são atualizadas.

20 anos atrás o espaço de socialização era geográfico. Você era obrigado a socializar com quem estava na fila do pão, com quem estava do seu lado no ônibus ou mesmo com as pessoas que moram com você.

20 anos atrás quando você emitia uma opinião você era obrigado a olhar no olho do outro. O outro não podia ser ignorado, se você o ofendesse, na melhor das hipóteses, você teria que ouvir uma replica.

Agora as distâncias não são mais geográficas, são lógicas. Vivemos em um grafo onde os nós são conectados e desconectados digitalmente. Talvez você não entenda o conceito proposto pelo binômio digital/analógico.

Digital e Analógico

Girando em torno deste sol, a uma distância de cerca de 148 milhões de quilômetros, há um planetinha verde-azulado absolutamente insignificante, cujas formas de vida, descendentes de primatas, são tão extraordinariamente primitivas que ainda acham que relógios digitais são uma grande ideia.

O Guia do Mochileiro das Galáxias

Esse trecho é genial! E a mesma ideia pode ser aplicada a Redes Sociais.

Quando falamos de coisas Analógicas, podemos assumir que entre duas medidas existem infinitas possibilidades.

Se o termômetro é digital, a temperatura pode ser 32,14159265358979323846ºC, que é ligeiramente maior que 32ºC. Em um termômetro digital a temperatura será 32,1ºC, que é ligeiramente menor que a temperatura real.

Relacionamentos Digitais

Em Redes Sociais, o relacionamento é digital e não analógico. Antes você era obrigado a conviver com quem estava ao seu redor, agora não. Você pode escolher a sua timeline. Você pode remover pessoas dela. Você pode amplificar vozes que não deveriam ressoar ou cancelar vozes que são contrários ao que você pensa.

Com a intensa comunicação, acabamos por escolher apenas as vozes que concordam conosco. Isso acontece porque a socialização e o debate não acontecem somente após o fim de expediente, mas o dia inteiro. O debate sobre política, que acontecia na mesa de bar, agora acontece durante o trabalho e sem nenhum “lubrificante social”.

A hiperconectividade nos deu a sensação que devemos emitir opinião o tempo inteiro. São opiniões sem reflexão, sem contraditório. O aplauso é praticamente imediato. Enquanto eu escrevia esse texto, postei no Twitter a citação do Guia dos Mochileiros das Galáxias e já tive algumas curtidas, mesmo meu perfil tendo pouca visiblidade.

Tweet Sobre Guia dos Mochileiros

A pergunta que devemos fazer é se essas ideias são validadas. Ou são apenas elucubrações de uma mente cheia de ideias e com pouco contato com pessoas reais? Se as generalizações feitas são realmente reais. Muitas vezes essas ideias são feitas usando composições.

Vou pegar dois exemplos básicos e comuns para explicar, mas isso pode ser aplicado a qualquer ideia.

  • Há universitários maconheiros, eles estudam em universidades federais, logo todo aluno de federal é maconheiro.
  • Há pessoas racistas, normalmente são de classe média, logo todo branco de classe média é racista.

Já ouviu essa frases?

Personas

No mundo empresarial existem alguns conceitos que podem nos ajudar. Quando temos alguma ideia de produto, precisamos primeiro validar se essa ideia é válida.

O que significa a ideia ser válida? É ver se ela tem aderência a realidade. Se o desejo que ela se propõe a resolver realmente existe. Muitas Startups vão a falência porque as ideias de seus criadores não refletem a realidade.

Para se validar uma ideia, então se criam algumas personas. Elas não são pessoas reais, mas contém a personalidade de pessoas reais. Todo modelo tem que ser baseado nessas Personas.

  • João é universitário, faz ciências sociais na Unesp, ele não fuma maconha.
  • Pedro é um branco de classe média, ele não é racista.

Essas personas são construidas a partir de entrevistas com pessoas reais. Essas entrevistas devem ser feitas focadas no problema e não na solução proposta. Em nenhum momento da entrevista eu posso apresentar o problema.

Seria como se eu fosse entender quem é o eleitor do atual presidente, mas em nenhum momento eu perguntaria em quem ela votou e nem colocaria essa informação. Faria perguntas abertas sobre o problema.

  • João é universitário, faz ciências sociais na Unesp, ele crê que o trafico de drogas alimenta o ciclo de violência na sociedade e não usa nenhuma droga ilícita.
  • Pedro é branco de classe média, ele crê que todas as pessoas são iguais, mas ele apoia política de cotas porque entende que no Brasil há dívida histórica devido a escravidão.

Ideias no mundo dos Narcisos

Quando eu te encarei frente a frente não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio o que não é espelho
E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho
Nada do que não era antes quando não somos Mutantes

Sampa, Caetano Veloso

O mundo das Redes Sociais é criado baseado em uma curadoria inconsciente. Você vai seguindo e adicionando pessoas que pensam parecido. Logo sua timeline é um reflexo daquilo que você acredita. Ela não reflete a realidade, ela é apenas seu próprio reflexo na água.

O mito de Narciso precisa ser lembrado o tempo inteiro, ele sobrevive desde a Grécia Antiga exatamente porque ele é relevante. A sociedade contemporânea está hipnotizada pela própria imagem, ela só vê a própria imagem. Muitas vezes somos tentado a colocar a culpa nos algoritmos, mas eles apenas potencializam aquilo que já existia desde tempos imemoriais.

Postamos ideias em Redes Sociais e logo vem os aplausos, a concordância. Isso alimenta nosso ego. Lemos e citamos os mesmo autores da nossa timeline, fazemos a mesma critica.

Um chamado a sabedoria

O mundo das Redes Sociais é tentado, mas não está levando nosso mundo a lugar nenhum. Estamos potencializando o atrito, apagando quem pensa diferente, agredindo quem discorda dos nossos ideais.

Livros empilhados

Precisamos recuperar a Sabedoria, aquela velha ideia que foi perdida para o conhecimento. O conhecimento é necessário, mas ele pode ser uma armadilha.

Já ouviu a frase “Ganhou a discussão e perdeu a pessoa”. As vezes temos que escutar mais do que falar, entender o porque que a pessoa pensa o que pensa.

Não precisamos ganhar nenhuma discussão, a internet tem que ser o espaço da empatia e do diálogo. Faça mais perguntas do que proponha respostas. Muitas vezes você pode se surpreender do porque algumas pessoas pensam diferente.

Cartoon Duty Calls do XKCD

Podemos gastar menos tempo online também. Isso é um pouco difícil em tempos de pandemia, mas devemos valorizar quem tá perto. Estou relendo o livro ]Cem Anos de Solidão](https://amzn.to/35F17hK). E no primeiro capitulo conta as inúmeras invenções do José Arcadio Buendía, ele sempre estava tendo ideias geniais e gastava seu tempo dentro de um quarta dando vida a suas ideias. Até em que um momento sua esposa fala.

— Em vez de andar por aí com essas novidades malucas, você devia era se ocupar dos seus filhos — replicou. — Olhe como estão, abandonados ao deus-dará, como os burros.

Cem Anos de Solidão — Gabriel García Márquez

O que tá acontecendo na internet?
(série de 3 partes)

Gentileza gera Gentileza ou por uma Etiqueta Digital
O Mundo dos Narcisos
"Tem Boi na linha"
Originally published November 18, 2020