Microsserviços e Fordismo

Microsserviços e Fordismo

Post originally published on dev.to.

A Lei de Conway Reversa também significa que os desenvolvedores serão, em muitos aspectos como Microsserviços: eles serão capazes de fazer uma tarefa e (espera-se) fazer essa tarefa muito bem, mas eles estarão isolados (em termos de responsabilidade, conhecimento do domínio e experiência) do resto do ecossistema. Quando considerados juntos, todos os desenvolvedores trabalhando coletivamente dentro de um ecossistema de Microsserviços saberão tudo que há pra saber sobre ele, mas individualmente eles serão extremamente especializados, conhecendo apenas as partes do ecossistema pelas quais são responsáveis.

A citação acima foi extraída do livro Microsserviços prontos para a produção da página 48. Fica muito evidente a similaridade de uma arquitetura de Microsserviços com o modelo de produção Fordista! 🏭🏭🏭🏭

Há muitos pontos positivos nisso:

  • Velocidade na produção
  • Consistência entre as soluções abaixo da camada de Microsserviços (visto que os desenvolvedores não tem nem dominio e nem escolha sobre essas camadas)
  • Não dá para reconstruir a estrutura do zero facilmente (sim, isso é positivo, evita espionagem industrial)

Mas também há alguns pontos negativos:

  • O conhecimento do sistema como um todo está disperso
  • Possível falta de compartilhamento entre os nós do ecossistemas.

Quando estava na faculdade, muitos professores diziam que eramos Pedreiros do Egito pela maneira rudimentar que o processo era controla. Agora acredito que somos trabalhadores de uma fábrica do inicio do século XX.

Originally published July 27, 2019