O que tá acontecendo na internet?

Gentileza gera Gentileza ou por uma Etiqueta Digital

Gentileza gera Gentileza ou por uma Etiqueta Digital

Post originally published on medium.com.

O que tá acontecendo na internet?
(série de 3 partes)

Gentileza gera Gentileza ou por uma Etiqueta Digital
O Mundo dos Narcisos
"Tem Boi na linha"

Etiqueta é um péssimo nome. Concordo. Péssimo pela visão de que alguns tem dela, você julgar os outros pela maneira como eles agem. Não quero falar disso, ao contrário, vou usar esse nome que também pode ser chamado de protocolo. Mas protocolo é para algo formal, etiqueta é para a vida cotidiana.

Mas vamos aqui, o que quero dizer é que precisamos de uma etiqueta digital. Assim como algumas empresas tem Dress Code, outra ideia péssima. Mas que nos ajuda a não ver alguém com camiseta regata no trabalho. Obrigado Dress Code.

Ninguém tá numa corte, talkey?!

Tá, mas porque precisamos de uma Etiqueta Digital?

As Redes Sociais são um tecido muito mais diverso do que podemos imaginar e muitas vezes em iterações entre mundos completamente distintos pode haver uma colisão de culturas. Sim, usei o termo colisão, porque é isso que acontece. Você é gentil e o outro te agride.

Você pode se perguntar porque estou escrevendo isso. Fui tentar interagir com uma militante de um movimento que apoio e fui recebido com pedradas. Tive que bloquear uns 10 perfis no meu twitter antes das 9 da manhã.

1. Queira conhecer o outro

Algumas pessoas falam de preconceito, mas se você assume alguma coisa sobre a outra pessoal, você é preconceituoso. Quando você via interagir com o outro, queria conhecer o outro.

O que estamos vendo no mundo de hoje é assumirmos que todas as pessoas são o tipo médio que sua mente imagina. Mas… não existe tipo médio! Se você simplesmente imagina um tipo médio: branco, classe média, etc… Para! Você está estereotipando!

Pode ser que a pessoa se adeque em muito ao que você imagina, mas simplesmente pare. A não ser que ela emita uma opinião preconceituosa, você não pode supor nada sobre aquela pessoa.

2. Creia que o outro é capaz de fazer as melhores coisas

Tal pessoa não consegue raciocinar… As vezes concordo com essa ideia. Mas… assim você não vai conseguir fazer ela pensar. Creia que ela pode pensar como você, apenas está metida em ideias enganosas.

Olha que eu já sofri muito desse tipo de julgamento, como nordestino vivendo em São Paulo, já tive que me reafirmar inúmeras vezes. Eu não sou um porteiro, e eu não duvido que um porteiro pode estar onde eu estou.

Sempre imagine que o outro pode chegar aonde você está. Seja da maneira como ver o mundo, seja das capacidades intelectuais. Só as artísticas que podemos duvidar… pois não esperem que eu desenhe nada! 😉

Cada pessoa tem seus pressupostos, e o problema está nos pressupostos. Não brigue com pessoas, lute contra pressupostos.

Se você partir para cultura do cancelamento, a pessoa vai se isolar na bolha dela e aumentar o ódio. Parabéns, você acabou de incentivar a falta de dialogo.

3. Gentileza gera Gentileza

Ah o profeta Gentileza… Apagaram tudo… Pitaram tudo de cinza…

Se alguém entrou em contato com você, dialogue. Se alguém foi grosso com você, bloqueie. Não alimente o ódio, alimente a gentileza. Seja gentil, mesmo que o outro lado não esteja disposto. Não se rebaixe ao nível que você mesmo condena.

4. A Rede Social não é a realidade

Do outro lado temos pessoas reais, porém o que vemos nas redes sociais não é real. Isso eu posso te explicar tecnicamente. Ainda vou modelar isso matematicamente.

O que acontece é que Redes Sociais promovem mensagens que há interações. É o modelo de negocio delas. Más as mensagens que promovem interações são aquelas que mexem com nossas emoções. Essa mensagens em sua maior parte serão ou mensagens apelando para uma emocionalidade barata ou para o ódio.

O que quero dizer com isso? As vezes somos tomados por emoções ao ver uma mensagem. “Ah, todos os comentários que vejo sobre tal assunto são negativos”. Calma lá… Todos os comentários impulsionados pelas Redes Sociais são os carregados de emoção. Logo um comentário que “não fez mais que sua obrigação” passará batido!

Caso você assuma pressupostos baseados em comentários em redes sociais, você estará criando uma falácia.

Falácia da Composição

Treine a seguinte frase: Nem todo(a) ________________ é _____________. Repita ela exaustivamente.

5. Debata ideias e não pessoas

Essa é outra falácia, se chama Ad Hominem.

Ad Hominem

Tal pessoa falou barbaridades? Tal pessoa defendeu um governo indefensável. Vá lá questionar o porque? Faça pergunta básicas:

  • Mas você crê mesmo que minha etnia é inferior a sua?
  • Você crê mesmo que todo nordestino não sabe votar?
  • Você crê mesmo que todo homem é machista?

E tenha argumentos pra responder:

  • Isso que você está falando é crime e a ciência já provou que é ignorância.
  • Os nordestinos não votaram no palhaço 🤡, ele teve que sair de lá pra ser eleito deputado.
  • Machismo é uma cultura que pode ser erradicada.

Em suma

Bom, aqui acabei colocando apenas 5 tópicos. Mas isso poderia ser expandido. Vale lembrar que suas redes sociais falam muito sobre você. Quem tá vendo como você trata os outros vai construir pressupostos baseados nos seus comentários. Muito cuidados.

Segue a dica de um livro que li esse ano. É uma excelente técnica que deve ser cultivada!

Vivendo a Comunicação não Violenta

Boa sorte!

O que tá acontecendo na internet?
(série de 3 partes)

Gentileza gera Gentileza ou por uma Etiqueta Digital
O Mundo dos Narcisos
"Tem Boi na linha"
Originally published August 18, 2020