Pensamento Crítico

Avaliando a validade do seu caso

Avaliando a validade do seu caso


Quando falamos de pensamento crítico, é preciso não só ponderar sobre a confiabilidade ou a relevância das evidências. Devemos também validar as informações que temos.

Muitas decisões que tomamos são apoiadas com argumentos ou mesmo dados. Se são argumentos devemos expor eles a testes de lógica para ver se não há nenhuma falácia. Se são dados precisamos assegurar que esses dados são gerados por testes confiáveis.

Um exemplo de como fatos podem não ser válidos para determinadas situações aconteceu no mercado de celulares quando houve o lançamento do iPhone. Existem dois tipos de tecnologia “touch”: a resistiva e a capacitiva. A resistiva apresenta um boa precisão, mas é preciso de certa força para ativar, por isso dispositivos que usam touch resistivo são acompanhados de canetas. Já o capacitivo tem uma péssima precisão, mas é facilmente ativado com a ponta dos dados. Até o iPhone, o mercado de celulares investia fortemente em touch resistivo porque (1) imaginavam que os usuários iriam desenhar no celular ou que (2) os usuários iriam escrever com a caneta disponível.

Qualquer pesquisa de mercado que fizesse ao menos 3 perguntas ao usuários de sobre as suas preferências pessoas, iria descobrir que a caneta não era boa de se escrever, assim os usuários preferem usar o teclado a escrever manualmente, ou seja a hipótese (1) era inválida. Pouquíssimos usuários querem desenhar com seus celulares, ao contrário, eles preferem ouvir música, assim a hipótese (2) também era inválida.

Eu sei desses fatos porque nessa época eu trabalhava em na empresa que mais vendia celulares. Essas hipóteses eram erradas porque elas não partiam de observações do mundo real, mas de elucubrações tecnológicas.

Técnicas para validar hipóteses?

Então surge a pergunta: existem técnicas para validar hipóteses? Sim, é disso que a ciência trata. Uma simples pesquisa de opinião pode ser feita para validar se sua ideia é realmente válida.

Mas existem também uma área que se preocupa em validar hipóteses que é o Design Thinking. O design thinking é uma série de ferramentas que foram desenvolvidas para validar hipóteses ou produtos. Uma dessas ferramentas é a Pesquisa Etnográfica. Pesquisa Etnográfica vai tentar entender quais são as dinâmicas dos grupos que queremos atingir. Como eles interagem, no que eles acreditam e como se organizam.

Outro método é criar Personas. Personas são personagens que não precisam existir no mundo real, mas tem que ter uma verossimilhança. Ao criar uma persona você vai imaginar como a pessoa deve interagir com a sua ideia ou produto.

Existem muitas outras técnicas e o objetivo comum delas é focar no problema e não na solução proposta

Coragem Intelectual

Depois de validada uma hipótese é preciso ter a Coragem Intelectual de assumir uma postura. Coragem segundo Aristóteles é a virtude entre a covardia e a imprudência. Ao descobrir que uma hipótese não é valida é preciso confrontar cuidadosamente quem acredita nessa hipótese.

Para desenvolver coragem intelectual é preciso ter (1) vontade de analisar suas crenças e conclusões submetendo elas mesmo a critica, (2) comunicar a divergência respeitosamente acreditando que você está fazendo uma crítica válida e necessária e (3) **ter vontade de encarar ideias, crenças ou pontos de vista opostos as seus ou que você discorda.

Um bom exercício para treinar coragem intelectual é escolher duas crenças, uma que você compartilha e outra que você discorda. E tente procurar argumentos para validar o seu ponto de vista e pontos de vista para criticar.

Outro exercício é procurar oportunidades para ouvir (ou ler) pessoas com que você discorda. Faça perguntas sobre como eles chegaram a conclusões e opiniões, faça perguntas abertas e sem expor a sua opinião.

O último exercício é você escrever uma crença que você acredita fortemente e a defenda com argumentos e evidências que você realmente entende e pode explicar claramente para outros. Se você apenas usa citações ou opiniões de outros. Se você não conseguir fazer essa defesa é hora de você parar de considerar essa uma crença forte.

Beneficio da dúvida

Já ouviu falar de viés de confirmação? Se não ouviu é bom rever onde você tem adquirido informações pois esse tem sido um dos tópicos mais falados sobre Fake News nos últimos 5 anos.

Todos nós temos vieses de confirmação, que significa que seremos extremamente simpáticos a ideias com a qual já concordamos e extremamente relutante com ideias que já discordamos. Quando adotamos o beneficio da dúvida como estratégia para avaliar ideias, nós tentamos evitar o viés de confirmação. Devemos determinar a confiabilidade e relevância das evidências e validar as hipóteses mesmo que já saibamos o resultado final. Se formos abertos a oportunidade de mudar de ideia podemos ter uma visão melhor do outro lado ou mesmo construir argumentos melhores para nossas ideias.

Nessas horas é muito importante conhecer as falácias para ver se essa nova ideia, ou mesmo a sua ideia fixa, não é uma falácia.

Originally published July 05, 2022